Vacinas contra o HPV


Existem duas vacinas comerciais: a bivalente contra os HPV 16 e 18 (GSK) e a quadrivalente contra os HPV 6, 11, 16 e 18 (MSD).


É impossível colocar todos os tipos de HPV na vacina, porisso se priorizou os dois tipos mais agressivos o 16 e 18, responsáveis por 70% dos casos de câncer de colo uterino; e na quadrivalente o 6 e 11, responsáveis por 90% dos casos dos condilomas genitais.


Em breve teremos a vacina nonavalente contra os HPV 6, 11, 16, 18, 31, 33, 45, 52, 58 (MSD). Assim haverá uma maior cobertura contra os HPV cancerígenos.


A vacina tem produção por tecnologia recombinante, ou seja, não apresenta material viral infectante, é produzida a partir de uma partícula da cápsula do vírus (VLP). É 100% imunogênica contra os HPV contidos, e totalmente segura. Países onde adotaram a vacinação nos seus programas de imunização, já demonstram diminuição significativa das doenças provocadas pelo HPV.


O melhor perfil de uso é na criança (meninas e meninos), antes de iniciarem a vida sexual, pois não foram expostos ainda aos HPV, assim a vacina oferecerá proteção em 100% contra os tipos virais da vacina. Isto não quer dizer que não possa ser usada em outras faixas etárias ou após o início sexual; existe aprovação em bula do uso da vacina quadrivalente para mulheres de 9 a 45 anos, homens de 9 a 26 anos. A bivalente para uso em mulheres a partir dos 9 anos, não tendo limite para a idade final.


O esquema posológico é de 3 doses, e há um esquema alternativo de 2 doses para menores de 14 anos, comprovando eficácia em qualquer dos esquemas propostos.


Efeitos colaterais compreendem dor no local da aplicação, e não há nenhuma comprovação científica de que apresente efeitos graves, como foi espalhado na mídia leiga há algum tempo atrás. Tudo não passou de BOATOS, o que prejudicou em muito a aderência a uma vacina de extrema importância e totalmente segura.


VACINAR SEU/SUA FILHA É UM ATO DE AMOR, POIS É A PREVENÇÃO DE UM CÂNCER FUTURO.

PENSE BEM, É UMA VACINA CONTRA O CÂNCER!