Laserterapia para o HPV


O tratamento com o laser pode ser tanto destrutivo como o excisional, o especialista configura o equipamento para um ou outro. O laser usado na ginecologia é o de CO2, que apresenta comprimento de onda de 10,6µ.


A vaporização a laser trata o tecido com uma luz de alta potência, onde a interação da luz com a água da célula promove a evaporação desta água e a lesão é destruída por completo. As vantagens sobre os outros métodos está na precisão do que se destroe, no controle da profundidade e extensão da remoção da lesão, não acarreta queimadura nos tecidos mais profundos, não provocando cicatrizes ou complicações.


As taxas de sucesso são altas, o método permite a repetição do tratamento sem sequela sobre o tecido tratado, é método de eleição para tratamento de lesões vaginais e vulvares. Também pode ser usado em colo uterino, ânus, boca ou qualquer região da pele.


É um procedimento cirúrgico ambulatorial, rápido em torno de 15 minutos, sendo necessário anestesiar apenas a parte externa; na vagina e no colo é desnecessário anestesia


O MÉDICO QUE UTILIZA ESTE MÉTODO, ALÉM DO CONHECIMENTO TÉCNICO DA CIRURGIA A LASER E DO EQUIPAMENTO, NECESSITA SER QUALIFICADO EM COLPOSCOPIA, POIS O EQUIPAMENTO É ACOPLADO AO COLPOSCOPIO (MICROSCOPIO). ISTO QUE DÁ A QUALIDADE E PRECISÃO DO MÉTODO.