Eletrocirurgia ou CAF para o HPV


A cirurgia de alta frequência (CAF) substituiu o procedimento de conização (retirada) do colo uterino. Está indicada no tratamento das neoplasias intraepiteliais de alto grau do colo uterino (NIC II e NIC III).


No CAF o volume de colo retirado é menor do que na cirurgia clássica, assim mantendo o colo com qualidade para segurar um bebê em futuras gestações. As taxas de sucesso são semelhantes à cirurgia clássica.


Também pode ser feito em ambiente ambulatorial, com anestesia local, o procedimento é rápido durando em torno de 15 minutos e causa mínimo desconforto.


Obviamente, a depender da quantidade do colo retirado, mesmo sendo uma técnica conservadora, pode acarretar dano à qualidade do colo uterino. Nestas situações, quando a mulher estiver grávida, o médico obstetra deverá ser informado que houve uma cirurgia no colo uterino, e a depender pode ser feita uma cerclagem (amarrar) no colo para segurar a gestação até o fim.


O MÉDICO QUE UTILIZA ESTE MÉTODO, ALÉM DO CONHECIMENTO TÉCNICO DA ELETROCIRURGIA E DO EQUIPAMENTO, NECESSITA SER QUALIFICADO EM COLPOSCOPIA, POIS O PROCEDIMENTO TEM QUE SER REALIZADO COM VISÃO COLPOSCÓPICA (MICROSCOPIO) PARA DELIMITAÇÃO DA LESÃO. ISTO QUE DÁ A QUALIDADE E PRECISÃO DO MÉTODO.